sábado, 7 de novembro de 2009

Aspectos da defenestração

Sentia-se leve, era como uma pluma dançando no ar. Uma brisa alisava cautelosamente os seus cabelos e os seus braços eram os remos que conduziam o seu corpo pelo ar. Estava realizado, e as lágrimas rolavam pelo rosto, contornando o nariz e encontrando abrigo no imenso sorriso que estendia-se contra o vento.

Arrebentou a cara no cimento duro.

Naqueles quatro segundos em que o rosto esmigalhado chorava uma dor crônica, descobriu que belos sonhos e vôos altos podem ser extremamente venenosos, especialmente quando combinados com a gravidade.

2 comentários:

  1. mesmo no chão ele poderia ter tropeçado e caído.

    ResponderExcluir
  2. Pois é! Não podemos nos esquecer dos postes =D

    ResponderExcluir